Wednesday, 12 January 2011

O meu sobrinho R.

Angelina Jolie & Maddox Jolie-Pitt
O meu sobrinho R. veio com os meus pais quando estes mudaram para Portugal. Em comparação com o país anterior, tem muitas mais disciplinas e por ter chegado agora tem todo o 1º período em atraso. O que implica estudar em dobro!
O meu sobrinho R. sempre viveu com os meus pais desde dos 3 meses de idade, quando ainda a minha irmã Z. estava a terminar o curso superior. Com esta mudança para Portugal por causa da doença do meu pai, tentamos por todos os meios que a minha irmã Z. o tomasse de volta mas ela não quis saber, disse que morava numa casa alugada que não tinha meios materiais e psicológicos para cuidar do filho (não se iludam, ela é sã, melhor que nós dois/duas juntos/a). Com o pai que mora no mesmo país que a minha irmã Z. a conversa foi idêntica. Portanto, não houve outro recurso senão ele vir viver para Portugal com os meus pais. 
O meu sobrinho R., por ter sido educado pelos avós é um completo mimado, mal-educado e irritante. Consegue tirar alguém do sério numa questão de segundos! 
O meu sobrinho R. só quer ir à escola vestido com o que lhe apetece, que neste caso são t-shirt e calções (com este gelo!!!). Só quer comer aquilo que lhe apetece, o Sr. McDonalds de segunda a segunda. Só quer ficar em frente à TV, playstation portable ou no computador.

Hoje enviei um e-mail à minha irmã Z., ao meu cunhado J. e ao meu ex-cunhado e pai dele B., do último não tive resposta. Dos outros dois, a resposta foi que como não foram eles a dar-lhe educação, eles não têm nada a ver com o facto de ele agora estar insuportável e o J. ainda teve a capacidade de dizer que nós (eu e o resto das irmãs) concordamos em ficar com ele e que agora não os podemos culpar de nada e que temos de ser nós as autoridades. Então, se eu e as restantes manas estivemos 6 ou mais anos fora e só estivemos com ele por períodos curtos, como é que vamos conseguir impor o que quer que seja?! Sim, neste momento só estou cá EU como "autoridade". A minha mãe não tem a mínima paciência com ele e mesmo quando ele faz NENHUM já leva um raspanete que o revolta ainda mais, isso demonstra o limite, o fio de navalha que  é a situação entre eles.

Suri Cruise
O meu cunhado J. ainda escreveu a dizer que como a minha irmã Z. não tinha dinheiro, ele resolveu comprar bilhetes para ver o Portugal-Costa do Marfim, adivinhem onde? No mundial da África do Sul! 
A minha irmã Z. disse que o R. precisava de outro lego StarWars, sim porque isso é muito importante afinal o que o demos no Natal e...no 1ºdia de aulas (ele teve um novo no 1º dia de aulas) está completamente ultrapassado e vão-lhe dar outro.Outro p'ra quê? A parabenizar o comportamento que ele vem tendo?! Ou o facto dele ter dito que os professores podem esquecer mas Matemática ele não estuda?! (os professores é que podem esquecer?????)  
O último jogo da PSP e playstation, o meu sobrinho R. tem. A bola do mundial de futebol, jabulani  o meu sobrinho R. tem. A coleção de legos StarWars, o meu sobrinho tem e quer mais, o telemóvel super avançado, o meu sobrinho R. tem, portatil ou melhor notebook, o meu sobrinho R. tem....os pais deram!

Sugeri, com toda a minha inocência que o meu sobrinho R. fosse a um psicólogo, nada tão absurdo, afinal é inteligente reconhecermos que erramos na educação do nosso próprio filho...oh esperem...neto, sobrinho, primo! Sabem o que a minha irmã Z. respondeu? Que ele é um menino inteligente e que se falarmos com ele, ele vai entender e deixar de ser assim...por momentos achei que estava a ouvir os Gato Fedorentos. é que só pode ter sido uma piada...depois de 12 anos a comportar-se nestes termos, vamos salvar o miúdo com meia-dúzia de palavras! E ainda disse que um amigo dela vem a Portugal p´ra semana e que o podíamos chamar p'ra ele ter a tal conversa com o meu sobrinho R. Como é que o amigo chama-se mesmo? Pois...É UM COMPLETO DESCONHECIDO!

[Quando tiver os meus próprios rebentos, já não tenho paciência p'ra eles!]

5 comments:

Sandy said...

Ui, entendi o teu problema. Acho incrivel quem tem filhos só por ter, responsabilidade nunca nada. Concordo com a tua ideia de o levar ao psicólogo, mais que não seja pode ser útil para vos dar estratégias para lidar com ele.

Boa sorte!

Blair Randall said...

SORTE? Bem precisamos...
Não sei se a minha ideia vai adiante, afinal para cuidar e educar estou cá eu para reconhecer que as coisas já chegaram a um ponto que não há volta a dar...a minha opinião não conta!

CoisasDaGaja said...

Que situação complicada está aí! Eu tenho um filho com 11 anos com algumas flhas próprias da idade, mas depois de ler o teu post senti-me abençoada!
Todavia, quero dizer que a responsabilidade principal de toda esta situação é dos teus pais!Podia escrever mil coisas, a verdade é que não há manuais de como educar um filho, e os pais do teu sobrinho queiseram compensar a falta de tudo com bens materiais! Erro comum, uma vez que, mesmo os pais que criam os filhos todos os dias cometem o mesmo erro. Solução solução é complicado, o psicólogo ajuda, mas não faz milagres, se não houver uma alteração das rotinas então a probabilidade de sucesso é fraca.Importante será fazê-lo já! Tem 12 anos e o principal da personalidade já foi formado. Só posso desejar-te boa sorte!

Mary said...

Essa história é digna de uma novela! Conheço algumas parecidas, e imagino que não deva ser nada fácil lidar com situações tão complicadas! Um psicólogo poderia ajudar! Talvez a própria escola dele tenha um psicólogo que possa fazer esse tipo de acompanhamento.
http://amarycanlife.blogspot.com/

Blair Randall said...

CoisaDaGaja tens toda a razão em tudo o que dizes, a começar pela culpa disso tudo é dos meus pais, mas normalmente os avós estão cá é mesmo para mimar e dar doces e os pais para serem os "maus da fita", os que obrigam, que educam (no sentido lato da palavra). Mas neste caso, os avós perceberam que tinham que ser os pais um bocado tarde. E agora cá estou...a ver o que fazer com o puto.
Muita sorte com o teu também :)

---------

Mary, de novela mexicana, só pode (ou será das soap operas que estás obrigada a ver :)).
Não seria má ideia ver o psicólogo lá da escola, a ver se os convenço com esta...nem que seja para inventar que disseram na escola que TODOS os alunos tem de ir a um psicólogo uma vez por semana