Saturday, 26 May 2012

Querem matar E’wa


"There's a choice we're making

We're saving our own lives
Its true we'll make a better day
Just you and me"


Numa altura em que toda a gente (ou quase toda) está preeocupada em salvar o planeta. Em que as catástrofes naturais parecem que acordaram, literalmente, para a vida e têm baixado o crescimento populacional em muitos números e em milésimos de segundo, em que o buraco do ozono cada dia ganha mais uns metros e parece um chapéu daqueles que só tem a pala; deparamos com o cenário de ter de pedir a um presidente, ou melhor, uma presidenta de um país pelas nossas vidas. Sinto-me a pedir por mim, pelos meus filhos. Sinto-me a pedir esmola. Por favor VETA!!! O que mais me assusta é não perceber como é que esta modificação de lei conseguiu sair do parlamento para chegar aos nossos ouvidos e termos que pedir tal coisa. Deve ser um pesadelo. Um pesadelo de tão estapafúrdio que soa aos meus ouvidos. Para quem não está a perceber patavina desta minha indignação, passo a explicar. E não é que a nova lei do Código de Floresta do Brasil tem algumas modificações. (Vamos colocar o verbo no tempo certo: TERÁ! Se nada fizermos). As novas alterações rezam o seguinte:

§  permissão para o cultivo em Áreas de Preservação Permanente (APP);
Se são áreas de preservação Ambiental quer dizer que é um habitat natural de um grande números de espécies animais e vegetais que talvez, ou quase de certeza, endémico. E ainda vem atrelado a palavra “permanente”, daí permitir o cultivo de outras espécies para deitar abaixo aquelas que lá estão já é…passo o termo…sacanagem!
§  a diminuição da conservação da flora em margens de rios;
querem ver que as plantas agora não têm o direito de ficar no sitio onde nasceram? (muitas delas endémicas, espécies ainda por descobrir, quase de certeza) Vão fazer o quê no sitio da flora da margem dos rios? Plantar arroz????
§  a isenção de multa e penalidade aos agricultores que desmataram;
neste ponto eu levo as mãos à cabeça. Metemos os inocentes na prisão e mandamos fora os criminosos. O próprio nome indica des-MATARAM. 
Basicamente esta lei diz que quem andou a arrancar arvores, levou metade da floresta não precisa ir lá repor aquilo que tirou sem permissão. Está livre, pode ir na paz do Senhor terminar o serviço.
§  Libertação do cultivo no topo de morros.
Vão fazer cultivo no topo do morro da favela da Rocinha a ver o que é os traficantes dizem. Só se for desse morro que estão a falar. Que não estou a ver que outro morro é que é que deixa que arranquem as plantas que dão sombra, que permitem a vinda da chuva para plantar batatas e cenouras. Sim, claro que precisamos comer e que o cultivo desses produtos são importantes mas a verdade é que existem campos de cultivo. Não é como se no Brasil não tivesse nenhum buraco de chão onde meter as batatas e agora precisam de uma área protegida e ameaçada para praticar agricultura.

Deixando as minhas opiniões bastante pendentes de lado ( nem preciso dizer para que lado do muro, ou será do morro é que eles pendem…). Passemos à parte cientifica da questão. O desmatamento desregrado, …e digo desregrado sim porque com estas leis abriram a época dos tratores, machados e catanas no meio da floresta…, vai permitir não só um incumprimento das restantes leis que ainda protegem de certa forma a floresta amazónica, para além de que vai deitar abaixo várias áreas de nursery de espécies endémicas e em perigo de extinção. A sombra, o esconderijo, o oxigénio, a proteção que estas árvores fornecem são mais importantes do que qualquer projecto público de erguer paredes de cimento e abrir campos de cultivo.
Sempre que eu penso nesta nova lei vem-me à cabeça a imagem de um trecho do filme do James Cameron com as gentes azuis!!!!

É minha gente, nós chegamos a este ponto. Ao ponto de querer deitar abaixo a floresta amazónica. O que segue? O Monte Everest? É pedir a tosos os santos, orixás, Iemanjá e E‘wa para que a Dilma VETE esta barbaridade.

3 comments:

Girl in the Clouds said...

É verdade destroiem tudo!!

Blair Randall said...

Girl in the Clouds, muita pena! :(

xoxo***

NaRiZiNhO said...

no Brasil há imensas personalidades a dar a cara por esta causa.
a Camila Pintanga chegou a interromper a apresentação de Honoris Causa para dizer "veta", tendo sido claro aplaudida por toda a gente.